sábado, 28 de fevereiro de 2009

O caso da advogada


Estava em meu escritório, atolada de trabalho quando chegou um senhor de aparência humilde, gestos tímidos e me falou que precisava de um bom advogado para o filho que se encontrava preso. Geralmente atendo empresários, magnatas, políticos, em fim, já ia lhe passar o telefone de um ex colega de faculdade que presta serviço voluntário numa associação, quando o ancião começou a contar a história de seu desafortunado filho: segundo ele, o jovem fora assediado por sua chefe, (que por sinal, é uma conceituada empresária), no entanto, a havia rejeitado e inconformada, a empresária resolveu vingar-se denunciando um suposto roubo de caixa no dia em que o jovem havia ficado só no escritório. Fiquei curiosa para conhecer pessoalmente, aquele que enlouquecera a mulher mais rica do estado. Na delegacia fui encaminhada a uma sala onde poderia conversar com meu futuro possível cliente. Seu nome era Cláudio, e quando o vi perto de mim compreendi a atitude de sua ex chefe: o homem era incrivelmente maravilhoso! Alto, forte, de braços musculosos e jeitinho tímido que dava vontade por de no colo. No entanto o que mais me chamou a atenção foi o volume protuberante em suas calças. Era algo quase incomum! Mal consegui conversar com ele, pois não conseguia tirar os olhos de seu sexo.

Resolvi assumir o caso e não voltei pro escritório aquele dia. Em casa, corri pro chuveiro enlouquecida de tesão, imaginando como seria ter aquilo tudo à minha disposição, na minha boca, na minha vagina, no meu rabo... Passei a noite delirando imaginando mil e uma loucuras, me masturbei várias vezes me tocando, massageando meu clitóris e pensando nele. No dia seguinte saí cedo pra delegacia, conversei bastante com Cláudio, percebi que ganhara sua confiança e que não seria mais tão difícil me aproximar dele, difícil na verdade seria me conter. Estava louca pra cair em seus braços e ser possuída ali mesmo, naquela delegacia. Mal conseguia controlar meus impulsos e instintos, fui chegando mais próximo dele e segurei sua mão carinhosamente, meu corpo estava queimando de desejo, minhas mãos suavam. Estava toda molhadinha. Já conseguira sua confiança e isso foi o bastante para pular em seu pescoço e beijar lhe a boca. Trocamos um beijo ardente. Senti sua língua quente roçar a minha e chupei-a com muito tesão fazendo-o sentir todo desejo que me sufocava. Abri sua camisa e acariciei-lhe o peito sentindo seu calor e os pêlos discretos que ali habitavam, chupei seu mamilo provocando uma gemidinho discreto, segui explorando seu corpo com a minha língua e mãos,arranhando-o suavemente, ele apertou meus seios, passando a pontinha da língua nos mamilos. Abri sua calça e vi aquele pau enorme, como desejei desde que lhe conhecera, comecei a chupar avidamente, sentindo na boca aquele membro duro, grosso, enorme, lambi a cabecinha, chupei de leve depois com força olhando dentro de seus olhos. Brinquei com ele, passei nos meus seios, percebi que Cláudio sentia tanto prazer quanto eu. Num gesto rápido, ele me pôs sobre a mesa, subiu em cima de mim enfiando tudo aquilo em minha vagina, de uma vez, provocando um gemido de prazer, senti todo aquele comprimento entrando e saindo de mim, me deixando louca, enquanto sua boca chupava meus seios com força e eu chupava seu dedo indicador direito. A penetração foi ficando mais intensa e frenética. Meu corpo se contorcia querendo mais, ergui meu tronco pra ver aquele pênis enorme e gostoso entrando e saindo da minha vagina então, sem poder mais suportar, gozamos gostoso, juntos, abraçados em cima da mesa, dentro da delegacia. Uma loucura! Saí de lá feliz, cansada e saciada como nunca. Em uma semana Cláudio estava livre.

Conversei com uns amigos e consegui-lhe um novo emprego, saímos juntos para comemorar, bebemos um pouco e terminamos em minha casa onde transamos na sala, na cozinha onde ele me sentou na mesa e enterrou tudo aquilo com força na minha xana que já estava acostumada ao seu volume, enquanto apertava minha bunda mostrando interesse em fode-la. Fomos pro meu quarto, ele me deitou na cama, nos beijamos trocamos carícias e Cláudio me pediu pra ficar de quatro, sua posição preferida, acariciou meus seios, passou gel em seu pênis, no meu ânus, confesso que senti certo medo, mas quando ele começou a me penetrar, puxando meu cabelo, falando palavrões, e massageando meu clitóris, o tesão falou mais forte, me senti no paraíso! Gemi alto pedindo mais, ele aumentou o ritmo e enfiou um dedo na minha vagina enquanto o outro continuava a massagear meu clitóris freneticamente, virei de frente sem tirar o pênis do meu cuzinho, Cláudio voltou a acariciar meu seios e enfiou dois dedos na minha vagina e o polegar continuou a massagem extasiante em meu clitóris. Já não cabia em mim de tanto prazer e soltei um grito de gozo pleno e absoluto, não demorou muito e ele também gozou. Senti a gala quentinha escorrendo na minha bunda e pernas. Ficamos abraçados e cansados, trocamos carícias doces e eu percebi que a partir então minha vida não mais me pertencia, e que começava ali, uma linda história de amor, uma parceria que nos uniria para sempre. Na vida e sobretudo, na cama.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Nós dois

Hummmm... que delícia!

To te esperando!


Aiiiiiiii! Mete que eu gosto!


Meu Sansão!


Escolhas...

Sou uma mulher de 26 anos, casada e muito feliz no meu casamento, meu marido me completa e realiza, sei que nosso amor é verdadeiro e nosso relacionamento sólido. Mas quando ele me falou a primeira vez sobre swing, sobre tranzarmos com outra mulher, ou outro homem, minha reação foi de deixá-lo e nunca mais voltar. Porém, muito sabiamente ele foi me apresentando (sem compromissos) esse mundo novo e cheio de novidades para mim, aos poucos minha resistência foi diminuindo, fizemos um perfil no orkut, um msn e começamos a conhecer pessoas intressantes. Com eles aprendi que swing não tem nada a ver com traição ou promiscuidade, a maioria dos casais que costumam realizar essa prática, são pessoas equilibradas, maduras, inteligentes e bem resolvidas. Além claro, teem relacionamentos longos e muita cumplicidade, respeito, amor e cuidado um com o outro. Deixei de lado minhas reservas e preconceitos, assumi que outras mulheres me atraem e que poderiam participar de nossas fantasias sem ameaçar nosso relacionamento. Hoje nosso casamento é muito mais firme e sólido, amadureci muito e vejo sexo com outros olhos: como algo a ser explorado e vivido intensamente. Não há pecado em realizar suas fantasias se você está com a pessoa certa, são todos maiores de idade, usando camisinha, respeitando um ao outro e seus limites, na verdade, isso faz parte da vida e do nosso amadurecimento pessoal. Se sentimos desejos é por que isso é natural do nosso corpo, como qualquer outra necessidade fisiológica. Todos temos fantasias e pode acreditar que a forma com a qual lidamos com essas fantasais diz muito sobre nós e sobre com encaramos a vida e tudo que ela nos traz. sempre há uma escolha, se vamos sufocar nosso desejoe e sentimentos e suportar a frustração, ou abrir o coração pro mundo e relizar-se plenamente sem reservas ser feliz. Resolvi escrever essa matéria porque muitos amigos pedem dicas pra convencer suas parceiras ou para que eu converse com elas. Espero ajudar em algo e que possamos assumir nossos desejos sem culpa ou reservas. Sexo faz parte da vida e é um assunto sério, além de ser uma delícia!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Morangos, champanhe e muito desejo



Certo dia estava na internet, quando encontrei um perfil do orkut cuja foto era um morango vermelhinho e suculento, esse também era seu nick. Não sabia ao certo se era homem ou mulher, mas as fotos (perfil e álbum) eram de uma sensualidade, que me deixaram arrepiada. Adicionei o perfil e aguardei contato, pra minha surpresa, a resposta foi quase instantânea e a minha atração fora correspondida. Morango era mulher, segundo ela alguma coisa em meu perfil a havia excitado muito. O detalhe é que eu não havia comentado nada, apenas entrado em seu perfil e adicionado. Fora atração mútua a primeira vista. Claudia aceitou meu convite e me deixou algumas mensagens picantes, além disso, adicionou fotos de sua boca mordendo um morango, passando um morango nos seios, cada foto seguida de um comentário, bem safadinho. Assim, fui ficando cada vez mais atraída, sem oferecer resistência ou preconceito. Trocamos MSN e numa conversa, descobrimos bastante uma sobre a outra, falei a ela que tenho namorado e descobri que ela é 21 anos mais velha que eu. Ela me falou que viria visitar minha cidade. Aguardei ansiosa sua chegada, antes, falávamos muito sobre sexo via MSN, aprendi uma porção de coisas com ela, fui recebê-la dias depois no aeroporto. Era linda e loira, corpo bem definido e belos seios.
De lá fomos até o hotel onde ela ficaria hospedada. Depois de acomodar-se Claudia me convidou para um banho. Entramos numa banheira de água quentinha, cheia de espumas, falamos sobre a viagem, quanto tempo ela ficaria, sobre seu noivo português, mas a água quentinha envolvendo nossos corpos nus, suas pernas grossas roçando as minhas naquele contato mais que íntimo, fez o tesão aumentar, ela aproximou-se de mim, seu corpo arrepiado e respiração ofegante, me olhou profundamente, seus lábios entreabertos me deram a idéia do que aconteceria. nos entregamos a um beijo ardente. Jamais me imaginara beijando uma mulher e isso contribuía para tornar o momento ainda mais excitante. As mãos hábeis me tocavam sob a água, deslizavam pelos meus seios descendo pela minha barriga e chegando em meu clitóris, eu me contorcia toda gemendo de prazer, pedindo mais, em resposta ela sentou à minha frente, já pude até imaginar o toque de seu sexo no meu, desejei ardentemente esse contato, mas no momento exato que ela esfregou-se em mim, o campainha tocou. Fiquei tonta sem entender. Sorrindo ela levantou-se, pôs a toalha e foi atender. Saí da água um pouco frustrada e a encontrei na cama semi coberta pela toalha e deitada de bruços, pernas dobradas, a seu lado uma garrafa de champanhe e uma bandeja de morangos.
-Vem, deita aqui! Ela pediu dando tapinhas na cama. Deitei e recebi a taça de champanhe que me era oferecida com um morango. Tomei um gole e mordi o morango olhando os olhos maliciosos e gulosos daquela mulher ardente que acomodou os morangos em meu sexo cobrindo tudo. Eu observava a cena sem entender nada. Depois de um gole sensual no champanhe ela começou a comer um a um os morangos, mordendo-os e derramando seu suco por minha pele e meu sexo já molhado de desejo até restar apenas um: o maior e mais vermelho de todos. segurando-o com suas unhas vermelhas ela passou a brincar esfregando-o no meu sexo me deixando louca de tesão. Ergui um pouco o corpo pra vê-la passar a fruta vermelha e suculenta na abertura da minha vagina, esfregá-lo de cima para baixo melando-o todo com minha lubrificação enquanto eu gemia de tesão e arqueava meu corpo pra sentir ainda mais aquele contato inebriante.
-Essa bocetinha é muito gostosa sabia?! Ela falou e mordeu morango sorvendo mais um gole de bebida. Usando os dedos ela abriu e derramou um pouco de champanhe em minha vagina, lambendo tudo com a língua quente e durinha, ficou a me lamber e chupar massageando meus seios, estava enlouquecida, toda aberta com a cabeça de Cláudia entre minhas pernas, só gemia e gritava puxando-lhe os cabelos lisos e loiros. Então ela me pôs de quatro, continuando a me lamber, chupar e morder meu clitóris, minhas nádegas, meu cuzinho... Ai! Aquele clima me deixava louca!
Minha vagina doía de tanto tesão. Subindo pela minha barriga ela ia me mordendo de leve, arranhando e chupando meus seios com as unhas vermelhas e brilhantes. Encostou sua boceta lisinha na minha esfregando-a avidamente, eu arqueava meu corpo para encaixá-lo ainda mais no dela, um tesão crescente foi me dominando... Aumentamos o ritmo, eu sentia o clitóris dela encostando no meu, quentinho, meladinho, as duas gemiam alto, gritando de prazer, trocando beijos ardentes. O gozo veio gostoso, forte, nos deixando inertes na cama, saciadas e felizes. A partir de então ficamos muito íntimas e decidimos que da próxima vez teríamos a presença de nossos namorado e noivo. Mas essa já é outra história...

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Tio Marcelo






Tio Marcelo é o único irmão de mamãe, ajudara a me criar e era o único homem da família desde meu pai fora embora. Corpo atlético, moreno, inteligente, simpático e muito responsável. Era adolescente quando comecei a sentir tesão e fantasiar beijos e amassos quentíssimos com ele. Vê-lo só de sunga na praia me deixava toda molhadinha. Eu só pensava em sexo! Ficava horas no quarto me masturbando e pensando nele, acariciava meus seios e gemia baixinho imaginando suas mão fortes e másculas apertando meus peitinhos durinhos e excitados, alisando e lambendo minha xaninha melada de desejo. Até na escola comecei a ir mal.
Resolvi conquistá-lo. Usava roupas provocantes e decotes ousados. Me insinuava descaradamente. Ele fingia que não percebia, mas cada dia eu me oferecia mais. Tio Marcelo chegou conversar comigo dizendo que entendia minha atração, que isso era normal na minha idade, mas... Calei-o com um beijo, ele esquivou-se e me deu uma bronca. Isso me excitou ainda mais. Outras vezes ele recusou meus apelos, mas eu já havia decidido que o teria.
A oportunidade veio quando estávamos os dois sentados na sala, enquanto minha mãe cozinhava e conversava conosco ao mesmo tempo. Ela odiava outra pessoa na cozinha. Ponto pra mim, pois o obrigava a ficar sentado a minha frente vestida de minissaia sem calcinha por baixo, detalhe escondido entre minhas pernas cruzadas. Passei os olhos por todo seu corpo mordendo o lábio inferior, minha mãe continuava falando desviando sua atenção. Meio irritado, pediu pra que eu me comportasse. Em resposta, sentei bem a sua frente e lentamente fui abrindo as pernas exibindo a xaninha molhada de desejo. Consegui finalmente vencer sua resistência, o volume de sua calça aumentou junto com meu tesão, me abri toda pra ele, expondo minha intimidade sem pudor. Muito bravo, ameaçou contar tudo pra mamãe. Sorri e levantei o pouco que restava da saia e ordenei:
- Chupa! – ele riu. – Ou chupa ou conto pra minha mãe que esta tentando me seduzir. Enquanto falava, eu massageava meu grelinho deixando-o ainda mais louco.
- Isso não é verdade!
- Vai arriscar?! Chupa agora! Ele obedeceu. O toque quente de sua língua pincelando minha xaninha sob o risco de sermos flagrados por mamãe me causaram arrepios e gemidinhos de prazer, seu pau continuava inchado dentro da calça louco pra entrar em ação. Eu delirava sentindo a língua molhada entrando e saindo de minha bocetinha sedenta de muito sexo. Até que mamãe veio nos avisar que o jantar estava pronto. Um segundo antes e não teríamos tempo de disfarçar. Paramos com o coração aos pulos e o desejo a flor da pele. Logo após o jantar fomos pro quarto. Esperei minha mãe se deitar e invadi o quarto do titio vestida apenas por um roupão, ele não esperava tanta ousadia e me deu mais uma bronca, empurrei-o para a cama. Sob o shorte do pijama era notável sua excitação. Fiz questão de sentar bem em cima, dando uma rebolada pra que ele sentisse o calor de todo meu desejo. Joguei longe o roupão que me cobria e beijei aquela boca com muito desejo. Ele já não oferecia resistência. Passou as mãos nas minhas pernas, na minha bunda que apertou com força e subiu para meus seios, apertando-os suavemente e massageando os biquinhos, eu estava louca de tesão e comprimindo com força meu sexo ao dele. Seu pau ficava ainda mais teso e ele gemia de prazer. Sem tirar as mãos dos meus peitinhos, ele sentou-se e começou a sugá-los com aquela língua quente me causando arrepios e gemidinhos dengosos, eu estava nas alturas quando ele me deitou a seu lado, retirou o shorte exibindo todo aquele membro que era o motivo da minha loucura. Eu pedia pra que ele enfiasse tudo, estava louca de tesão.

Pacientemente ele pôs a cabecinha na entrada da xaninha molhada e ansiosa, fez um pouco de pressão até eu me acostumar ao contato e foi enfiando bem devagar enquanto eu delirava sentindo todo aquele volume me penetrar e tocar fundo dentro de mim, enquanto meus seios eram amassados, lambidos e chupados. Ele movia-se enfiando e tirando todo aquele mastro e eu só gemia e implorava pra que não parasse. Fiquei de quatro. Nessa posição eu podia me mover rebolando e enfiando tudo até sentir seu saco tocar minha bunda que batia contra sua barriga com força. O tesão foi crescendo até me dominar por inteiro, eu ansiava por mais e mais... percebi então que iria gozar. O gozo veio forte, violento, me dominando por inteiro. Como se uma nuvem me envolvesse, eu flutuava leve e feliz. Acabara de descobrir o que era um orgasmo. Meio anestesiada, vi que seu pau permanecia duro como antes. Continuávamos na mesma posição. Marcelo molhou o cacete na minha xaninha que pingava pelo tesão e pelo gozo, e pressionou no meu cuzinho, eu gritei de dor, tentei fugir, mas me prendendo pela cintura, ele me impediu. Era sua vingança. Sem piedade todo aquele caralho foi enfiado no meu rabinho provocando dor e ao mesmo tempo excitação. Eu queria parar, mas não conseguia sair dali, suas mãos firmes me prendiam. Ele gemia e enfiava tudo com força sentindo cada estocada que dava, parecia que iria explodir. Já não prendia minha cintura, porém, não queria mais fugir, usando as mãos hábeis ele massageou meu grelinho, me levando a loucura! As estocadas ficaram mais fortes e sem controle, gozamos juntos, loucos e felizes, adormecemos abraçados e exaustos sem se importar com mais nada. Eu me sentia a mulher mais realizada do mundo.

Paola Oliveira... Inspiradora!



Linda, corpo perfeito, naturalmente sexy, Paola Oliveira é personagem principal na fantasia de muita gente. Não é a toa, afinal quem resiste a tanto charme e sensualidade? Sinto até arrepios quando a vejo. Que loucura!!!